Cuidados com a alimentação

Público lota mesa-redonda que abriu ciclo do Programa Alimentação e suas Vertentes

Cuidar da alimentação entendendo certos mitos alimentares é imperativo para se ter boa saúde. O consumo excessivo de carboidrato refinado, açúcar, frutose e grãos em detrimento das gorduras boas e proteína de qualidade são condições que só podem  induzir o envelhecimento e aumento das doenças do mundo moderno.

 Essas foram algumas das orientações repassadas pelo médico com formação em cirurgia vascular e especializado em nutrologia Wilson Rondó às mais de 100 pessoas que lotaram as salas do Centro Integralidade do Iamspe para participar nesta quinta-feira, dia 22 de maio, da primeira mesa-redonda “Alimentação e Envelhecimento”, do ciclo de encontros do Programa Alimentação e Suas Vertentes.

No encontro, que contou também com a presença do nutricionista do Iamspe Uera Checia do Couto, o médico surpreendeu o público ao desconstruir discursos como o de que consumir carne vermelha faz mal.

“Não é verdade. Sua ingestão é importantíssima para o organismo porque a carne possui ômega 3, nutrientes e outras substâncias que evitam a oxidação do corpo, responsável pelo envelhecimento.” Ele ressaltou, porém, que deve-se usar carne de animais criados a pasto, que é a que oferece mais benefício para a saúde.

Segundo ele, para o organismo humano, consumir óleos vegetais hidrogenados, causadores de gordura trans, é tão danoso quanto o açúcar refinado, apontado como vilão da alimentação por várias gerações. O especialista ressaltou que cada organismo tem um metabolismo e uma necessidade nutricional individual. “Ter essas informações é muito importante para definir a melhor alimentação para cada pessoa e idade.”

Já o nutricionista do Iamspe atraiu a atenção do público ao discorrer sobre a alimentação na velhice. “É comum encontrar idosos acima do peso, mas desnutridos”, destacou. Ele ressaltou a importância de os idosos terem uma alimentação correta, com nutrientes que até são consumidos, mas nem sempre na quantidade recomendada para esta faixa etária.  

Citando a osteoporose e a sarcopenia, Wilson Rondó explicou ao público que existe um processo de desnutrição sub-clínica gerando inflamação silenciosa, deflagrada pela alimentação incorreta que acelera o processo de envelhecimento. Nessa etapa final, é que as doenças se manifestam.

De acordo com o médico, até a frutose (açúcar da fruta), dependendo da quantidade consumida, pode ser mais danosa que o açúcar refinado. “A alimentação inadequada é responsável pelo aumento do diabetes, câncer, obesidade e outros”, concluiu.

Segundo projeções da Federação Internacional de Diabetes, o número de diabéticos deve crescer 54% nos próximos 20 anos. Dados divulgados neste ano mostram que existem 425 milhões de diabéticos no mundo, sendo que um em cada dois portadores da doença não sabe que tem a doença.