Agosto Dourado

Neonatologista do HSPE explica sobre amamentação durante a pandemia

O mês de Agosto é conhecido como Agosto Dourado por simbolizar a luta pelo incentivo à amamentação. A cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno. 

O neonatologista do Iamspe, dr. Wlater Nelson Cardo Jr. Destaca que a pandemia de Covid -19 mudou a forma de se comemorar a data neste ano, mas não o foco das ações na promoção do aleitamento materno, sendo o seguinte tema definido em 2020  “Apoie o aleitamento materno para um planeta mais saudável”. 

As medidas restritivas por causa da pandemia não impedem que mães sejam estimuladas a oferecer leite materno aos seus bebês, destaca o0 médico. 

“As mães podem e devem continuar amamentando, mesmo estando com sintomas compatíveis com a síndrome gripal ou infecção respiratória ou mesmo confirmação para Covid -19. Se estiver em condições clínicas adequadas. Mas é importante que elas utilizem a máscara quando forem amamentar ou realizar algum cuidado de proteção do bebê, além da higiene das mãos com bastante frequência.” 

Entre os principais objetivos das campanhas anuais estão informar as pessoas sobre o vínculo entre a amamentação e o meio ambiente, fixar a amamentação como uma decisão climática inteligente, envolver os indivíduos e as organizações para obter maior impacto e estimular ações para melhorar a saúde do planeta e das pessoas. 

O especialista ainda destaca que a oferta do seio materno às crianças é um direito inquestionável das mães e de seus filhos e todos os esforços devem ser feitos no sentido de promover, acompanhar e manter o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e complementado até dois anos de idade. 

A amamentação é excelente investimento para salvar vidas infantis e melhorar a saúde, o desenvolvimento social e econômico. 

Os benefícios do leite materno são incontestáveis. É o alimento completo com todos os nutrientes necessários para cada fase do bebê. “Por meio do leite materno, o bebê recebe os anticorpos da mãe que protegem contra doenças respiratórias, diarreia, infecções, alergias e obesidade, além de diminuir a chance do desenvolvimento do câncer de mama e de ovário dessas mulheres e fortalecer os laços afetivos entre a mãe e bebê”, acrescenta dr. Walter. 

A amamentação é um ótimo exercício para o desenvolvimento dos músculos da face da criança resultando em dentes fortes, benefícios na fala e na respiração. A recomendação é não oferecer mamadeira e chupetas. 

A Organização Mundial da Saúde traçou como meta alcançar o ano de 2025 com pelo menos 50% de aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida. “Todos unidos nas ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno esta meta será alcançada”, finaliza o médico.