ATUALIZAÇÃO – Vacinação Covid-19: crianças de seis meses a menores de três anos com comorbidade passam a ser imunizadas a partir 17/11

ATUALIZAÇÃO – Vacinação Covid-19: crianças de seis meses a menores de três anos com comorbidade passam a ser imunizadas a partir 17/11

A partir desta quinta-feira, 17 de novembro, o Posto de Vacinação do Iamspe passará a imunizar contra a Covid-19 crianças de seis meses a menores de três anos com comorbidades, deficiência permanente, imunossuprimidos. A medida segue as diretrizes do Ministério da Saúde, que estipula o imunizante a ser utilizado pelos profissionais da saúde (Pfizer Baby) e a maneira como completar o esquema vacinal infantil, que é composto por três doses (intervalo de 28 dias entre a 1ª e a 2ª dose; intervalo de 56 dias entre a 2ª e a 3ª dose).

A vacinação infantil, bem como dos demais públicos elegíveis na campanha contra a Covid-19 até o momento, ocorre nas salas de vacina no Prédio da Integralidade, na Avenida Ibirapuera, 1215. Atenção: crianças menores de 5 anos recebem a vacina das 7h30 às 12h. Já as maiores até as 17h.

No ato da vacinação, os pais ou responsáveis devem apresentar um documento CPF (preferencialmente) ou o cartão do SUS, além do comprovante de risco da criança com comorbidade.

Vale lembrar que pessoas consideradas com comorbidades são indivíduos que possuem:
– Pneumopatias crônicas graves
– Diabetes mellitus
– Hipertensão Arterial Resistente (HAR)
– Hipertensão arterial estágio 3
– Hipertensão arterial estagio 1 e 2 com lesão em órgão- alvo
– Insuficiência cardíaca(IC)
– Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar
– Cardiopatia hipertensiva
– Síndromes coronarianas
– Valvopatias
– Miocardiopatias e Pericardiopatias
– Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
– Arritmias cardíacas
– Cardiopatia congênita
– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
– Doenças neurológicas crônicas
– Doença renal crônica
– Imunossuprimidos
– Hemoglobinopatias graves
– Obesidade mórbida
– Síndrome de down
– Cirrose hepática
– Autismo

Já pessoas consideradas com imunossupressão são indivíduos que possuem:
– Imunodeficiência primária grave
– Quimioterapia para câncer
– Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) em uso de drogas imunossupressoras
– Pessoas vivendo com HIV/Aids
– Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias.
– Uso de drogas modificadoras da resposta imune – Metotrexato; Leflunomida; Micofenolato de mofetila; Azatiprina; Ciclofosfamida; Ciclosporina; Tacrolimus; 6-mercaptopurina; Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe); Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe)
-Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias
– Pacientes em terapia renal substitutiva (hemodiálise)
– Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas

Atenção: O uso de máscaras nos locais destinados à prestação de serviços de saúde ainda é obrigatório. Portanto, é necessário utilizar o acessório durante o período de permanência nas áreas do complexo hospitalar do HSPE.