Máscara

Médico do Iamspe fala sobre uso de máscaras durante atividade física 

Recomendada pela maioria dos médicos, atividade física sempre foi sinônimo de qualidade de vida. Com a chegada do Coronavírus, entretanto, muita gente reduziu ou deixou de fazer exercícios. Essa situação começa a mudar com a liberação parcial de academias e reabertura de parques, mas os usuários continuam com muitas dúvidas, principalmente quanto ao uso de máscaras durante as atividades. 

Segundo o especialista em Medicina do Esporte do Iamspe Samir Daher, existem inúmeros modelos e materiais de máscara no mercado, mas pouquíssimos estudos sobre o impacto do uso de máscara durante atividades físicas. Um deles trata do uso de máscara cirúrgica e do modelo conhecido como N95 e apontou dificuldades na troca respiratória quando a atividade é de alta intensidade. 

O médico explica ainda que o desconforto com a máscara está relacionado às condições físicas do indivíduo. A pessoa que apresenta bom condicionamento físico demora mais para entrar em fadiga. Outra pessoa, sem tanto condicionamento, pode sentir fadiga só ao caminhar. “Depende muito, mas em ambos os casos não há risco para a saúde porque cada um sabe o seu limite e vai parar diante da dificuldade”, completa. 

De acordo com Daher, nas modalidades em grupo como o futebol, a eficácia da máscara cai muito porque a transpiração inviabiliza a proteção. Como atividade segura, o médico indica preferencialmente o exercício ao ar livre e no caso de caminhada ou corrida adotar sempre um sentido único para evitar aglomeração. 

Segundo ele, nas academias, que são ambientes fechados, a corrida em esteira exige máscara de qualquer maneira, pois o espirro de uma pessoa assintomática pode contaminar pessoas próximas ou que estejam no mesmo ambiente.

“Se a pessoa faz musculação, a troca respiratória durante o esforço é mais tranquila, mas o uso de máscara durante o treino é essencial.” Ele ressalta que quem faz academia deve ter, o tempo todo, cautela com os protocolos de proteção como higiene das mãos usa de álcool gel inclusive nos equipamentos e adotar o distanciamento social. 

 Finalmente, o médico recomenda que a retomada da atividade física seja feita com calma, principalmente se a pessoa ficou parada há muito tempo. “Podem ocorrer lesões e o condicionamento físico é readquirido devagar”, conclui.