Prevenção da surdez

5 dicas que ajudam a prevenir a surdez  

No Dia Nacional de Nacional de Combate e Prevenção à Surdez, Hospital do Servidor Público Estadual traz orientações sobre o tema

O Hospital do Servidor Público Estadual, vinculado ao Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe), alerta que os problemas auditivos não afetam apenas idosos ou pessoas que nasceram com essa condição. Em qualquer fase da vida, por diferentes motivos, a audição pode ser prejudicada. Os danos variam entre leve, moderado, severo e profundo.

Segundo o otorrinolaringologista do HSPE, Andrei Borin, a falta de informação é um dos maiores problemas. A deficiência auditiva pode ser gerada ou agravada por infecções, acidentes, exposição a ruídos, genética, entre outros fatores.

O especialista chama a atenção para algumas situações. “A perda gradual de audição pode ser observada quando as pessoas pedem frequentemente para repetir o que acabou de ser dito, quando há dificuldade de entendimento em conversas e quando o volume do rádio ou da televisão está muito alto.”

Para uma audição saudável, o otorrino do HSPE destaca as principais recomendações:

– Objetos pontiagudos nunca devem ser utilizados nos ouvidos, eles podem causar lesões nos tímpanos;

– O uso incorreto de hastes flexíveis, conhecidas popularmente como cotonetes, é um dos fatores que mais causam problemas. Seu uso deve ser feito apenas na parte externa. Em nenhuma situação deve ser introduzido no canal;

– Controle o volume de aparelhos sonoros (MP3, som do carro, celular, etc.). A exposição prolongada a sons altos pode trazer riscos para a audição;

– Nunca utilize remédios por conta própria. Além de um risco desnecessário ainda pode agravar o problema;

– Um otorrinolaringologista deve ser procurado em casos de zumbidos, dor de ouvido e até coceira para avaliação e tratamento adequado.