Dor de garganta

Especialista do Iamspe tira dúvidas sobre dor de garganta  

A dor de garganta é um sintoma e não a doença propriamente dita. Ela pode ser causada por infecções bacterianas, virais, alergias, refluxo, uso excessivo da voz e até em consequência do ressecamento da garganta provocada por ar-condicionado, tempo seco ou respiração bucal.   

Algumas vezes a dor desaparece espontaneamente, mas deve ser observada para evitar complicações sendo o tratamento indicado sempre pelo médico.  

“O uso de antibióticos é prescrito somente em casos de infecções bacterianas. Da mesma forma, o uso de anti-inflamatórios deve ser evitado e a necessidade de seu uso será analisado pelo médico”, afirma a otorrinolaringologista do Iamspe, doutora. Eliana Rodrigues Biamino.  

Em geral, a dor de garganta vem acompanhada de outros sintomas como ardência, dificuldade para engolir, rouquidão, tosse, dores de cabeça e de ouvido, febre, mal-estar e perda de apetite.  

Alguns mitos permeiam a questão da dor de garganta como, por exemplo, sorvetes ou líquidos gelados causam ou pioram a dor. A médica esclarece que se o fator determinante for infeccioso, a baixa temperatura pode piorar o quadro desencadeado pela vasoconstrição provocada pelo frio, mas não causa a dor.  

Já permanecer em local com ar-condicionado pode provocar ressecamento das mucosas respiratórias altas, além de alergia ou irritação da mucosa se não houver a manutenção do aparelho.   

Outro mito associado à dor de garganta é o uso de lenço embebido em álcool no pescoço como forma de tratamento para dor de garganta. Este procedimento aumenta a temperatura local com maior fluxo de sangue e sensação de alívio sem, no entanto, tratar o fator determinante da dor.  

Segundo a doutora Eliana Biamino, as dicas para evitar a dor de garganta são:  

– Em baixas temperaturas manter-se agasalhado e usar cachecol na região do pescoço; 

– Evitar choque térmico ao sair de local quente para frio;  

– Evitar locais fechados e com aglomeração ;  

– Hidratar-se sempre e principalmente em locais com ar-condicionado ou em situações em que a umidade relativa do ar esteja baixa;  

– Procurar o médico se a dor de garganta for persistente e/ou acompanhada de outros sintomas como febre, mal-estar.