Inauguração Centro Adolescente

Emoção marca inauguração do Centro de Atendimento de Saúde ao Adolescente do Iamspe

A emoção marcou a cerimônia de inauguração do Centro de Atendimento de Saúde ao Adolescente do Iamspe, na quarta-feira, 27 de março, evento que contou com a presença da médica Albertina Duarte Takiuti, coordenadora do Programa Estadual de Saúde ao Adolescente e professora de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital das Clínicas de São Paulo, da fisioterapeuta e sexóloga Lelah Monteiro, da psicóloga Leila Brito e da Miss São Paulo 2019, Bianca Lopes.

O serviço, coordenado pela médica ginecologista Roberta Rassi Mahamed Antonini, que mediou a roda de conversa com o tema “Ser Mulher” realizada durante o evento, oferecerá a partir de agora, além do atendimento médico, nutricionistas, orientação de psicólogos e da naturóloga Andrea De Callis. Junto com as rodas de conversas, serão realizados workshops mensais com temas para atrair os adolescentes, completa a médica.

Diante das aproximadamente 100 pessoas que lotaram uma das salas do Centro Integralidade, o superintendente do Iamspe, Wilson Pollara, ressaltou a importância de  o Iamspe investir em um espaço para o adolescente que ofereça atendimento profissional multidisciplinar. “É inadmissível que 13% dos partos indesejados em São Paulo e 20% no Brasil aconteçam entre adolescentes. É preciso também agir contra a violência contra os jovens.”

A médica Albertina Duarte Takiuti se disse emocionada. “É uma grande vitória. O Iamspe representa um centro formador e multiplicador.” Para Albertina, o Instituto está abrindo caminhos ao oficializar um atendimento integrado de vários profissionais ao adolescente. A médica ainda acrescentou que “mudar o espaço para a prevenção é alterar o eixo da História”. “É o que está sendo feito aqui pelo Iamspe”, finalizou.

Referência para o público jovem, a atriz, modelo e Miss São Paulo Bianca Lopes disse ter orgulho de ser mulher e que sempre quis ser miss porque a visibilidade traz oportunidade de passar mensagens e informações que ajudem na formação de pessoas. “Atualmente, é preciso ter conhecimento para ocupar uma posição na sociedade.

Também é preciso ajudar outras mulheres, ser solidária.”

Para a psicóloga Leila Brito, ser mulher é não se descaracterizar. “Nos dias de hoje, a gama de informações da internet traz muita dificuldade para o jovem se posicionar, mas a mulher deve procurar seu espaço sem competir e fazer parcerias.”

A sexóloga Lelah Monteiro destacou a importância de conscientizar os adolescentes, principalmente os rapazes, sobre a importância do respeito ao outro. Segundo ela, é preciso desmistificar o uso de preservativo. “Quando a adolescente engravida, o rapaz também “engravida”. Todos os envolvidos têm comprometimento com a criança”.